segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Saturação de oxigênio na hemoglobina

Nosso sangue é constituído por duas partes: uma parte líquida (o plasma sanguíneo) e outra parte sólida.  Entre os componentes da parte sólida, temos uma célula especializada em fazer o transporte do oxigênio até as outras células do nosso corpo: são as hemácias.

As hemácias (eritrócitos) dão a cor vermelha característica do sangue, isso ocorre porque elas contêm um pigmento avermelhado, denominado "hemoglobina", e como os eritrócitos estão presentes no sangue em muito maior quantidade que as outras células, incolores, todo o sangue parece ser vermelho.  A hemoglobina presente nas hemácias é a responsável por levar (carrear) o oxigênio (e responsável também por trazer o CO2).
Hemácias -

Hemoglobina

Quando o oxigênio difunde dos pulmões para o sangue (nos alvéolos e nos capilares), uma pequena proporção fica em solução nos líquidos do plasma sanguíneo e nas próprias hemácias, mas, uma quantidade de oxigênio cerca de 60x maior combina imediatamente com a hemoglobina presente nas hemácias.
A essa forma combinada do O2 + hemoglobina  damos o nome de oxi-hemoglobina. Ela é levada então para os capilares dos tecidos do corpo. Na verdade, sem a hemoglobina, a quantidade de oxigênio que poderia ser transportada seria apenas uma pequena fração do que seria necessária para manter a vida.
Oxi-Hemoglobina

Quando o sangue passa pelos capilares dos tecidos, o oxigênio se separa da hemoglobina e difunde para as células. Dessa forma, a hemoglobina atua como um carreador de oxigênio aumentando a quantidade de oxigênio que pode ser transportada desde os pulmões até os tecidos até cerca de 60x mais do que poderia ser transportado apenas em solução.
Po2 alveolar gasoso dissolvido no plasma
Po2
mL/dL de sangue
100 mmHg
0,3 mL
Pessoa de 70kg = ± 5 litros de sangue → 3mL/L x 5 L → 15 mL de O2 dissolvido.
Nota: Se fosse a única fonte de O2  seria necessário 80L/min maior que o dobro que utiliza um atleta mundial.
Fonte: McArdle, 2008
Quanto à solubilidade:
Gás
Coeficiente de solubilidade
(mL de gás em dL de sangue)
Pressão à 37°C
O2
2,26 mL/dL
760 mmHg
CO2
57,03 mL/dL
N2
1,3 mL/dL
   

***
O2 carreado pela Hemoglobina
(É de 65 a 70x maior que o O2 dissolvido →
197mL/dL de O2  na forma Hb4 + 4O2 →Hb4O8)
1dL de sangue
15g de Hb
1g de Hb
1,34mL de O2
Fómula: Hb por g/dL de sangue x Capacidade de Carrear
 =  15g x 1,34mL/g
= 20mL de O2/dL de sangue

A medida que a pressão atmosférica fica menor, diminui também as pressões parciais dos componentes do ar atmosférico
Ao nível do mar
Pressão Total dos Gases (P) = 760 mmHG
% pressão oxigênio (Po2)
20,93%
159,068 mmHg
% pressão dióxido carbono (Pco2)
0,03%
0,228 mmHg
% pressão nitrogênio (Pn2)
79,04%
600,704 mmHg
TOTAL
100,00%
760,000 mmHg

Dessa forma, podemos montar uma curva que representa a porcentagem de hemoglobina que está combinada ao oxigênio, para uma determinada pressão de oxigênio (Po2).
Altitude (m)
Pressão Atmosférica
Pressão parcial de oxigênio – Po2
0
760 mmHg
159,1 mmHg
1000
674 mmHg
141,2 mmHg
2000
596 mmHg
124,9 mmHg
3000
526 mmHg
110,2 mmHg
4000
462 mmHg
96,9 mmHg
9000
231 mmHg
48,4 mmHg

O sangue aerado que deixa os pulmões tem, usualmente, pressão do oxigênio da ordem de 100 mmHg. Fazendo referência à curva, é visto que, nessa pressão, aproximadamente 97% da hemoglobina estão combinados com o oxigênio.
Ar alveolar (%) ao nível no mar
Gás
%
(P) média
Volume de gás
O2
14,5%
103 mmHg
145mL/L
Pco2
5,5%
39 mmHg
55mL/L
Pn2
80,0%
571 mmHg
800mL/L
Total
100,0%
713mmHg*
1000mL/L
*713mmHg + 47mmHg ar umedecido (vapor d’água) = 760mmHg

Quando o sangue é oxigenado até o nível arterial normal de 97% de saturação, cerca de 19 ml de oxigênio estarão fixados à hemoglobina. Então, conforme o sangue perde oxigênio para os tecidos e a saturação da hemoglobina cai a 70%, a quantidade de oxigênio que permanece fixada ao sangue ainda é da ordem de 14 ml para cada 100 ml de sangue. Ou seja, cada 100 ml de sangue que passam pelos tecidos, normalmente, libertam cerca de 5 ml de oxigênio para as células.

Saturação (%)
O2 fixados à Hb (mL)
Antes da perda
97%
±19 mL
Depois da perda
70%
± 14 mL (-24%)
*Perda de 5mL de O2  para cada 100mL de sangue que passa pelos tecidos

Utilização de Oxímetro de Dedo para aferir FC (Freqüência cardíaca) e SpO% (Saturação de oxigênio no sangue em "pO2" ).


Entenda o que é OXIMETRO)
 A oximetria de pulso/dedo consiste em um método muito simples, e não invasivo, de se monitorar a porcentagem de hemoglobina que está saturada de oxigênio. Como se sabe, o sangue carrega oxigênio para o nosso corpo através da hemoglobina. Essa hemoglobina absorve o oxigênio no pulmão e através da corrente sangüínea, o transporta para todo o corpo onde ele é necessário. Monitorando-se a presença de oxigênio na hemoglobina é possível saber se um paciente está vivo, sendo esse portanto um dos sinais vitais usados nas UTIs para acompanhar o estado de um paciente crítico.
 Assim, nos casos em que a oxigenação do sangue de um paciente é instável, como após uma operação ou numa situação que exija um tratamento intensivo, o Oxímetro que mede essa oxigenação consiste em um equipamento importante.
Mas, não é apenas nos hospitais e clínicas que a oximetria de pulso se revela um recurso importante para o monitoramento da oxigenação de uma pessoa.
Em aeronaves, ela pode ser utilizada pelos pilotos para indicar um estado de despressurização, ou em qualquer outra situação em que alguém necessite de uma oxigenação suplementar.
Durante uma cirurgia ela pode ser usada para monitorar a oxigenação durante a anestesia e no caso de ventilação artificial (para doenças respiratórias) serve para monitorar o estado do paciente. Mesmo no caso de uma endoscopia, esse equipamento pode detectar problemas associados a uma hipoxia (falta de oxigenação).
Este tipo de aparelho é fundamental para o monitoramento da FC de obesos mórbidos durante atividades física. Por possuem um grande volume de tecido adiposo na região tórax local onde se localiza o sensor de um monitor cardíaco, a leitura da informação ficaria comprometida.
Se você tiver acesso a um oxímetro (aparelho que mede a saturação de oxigênio na hemoglobina), em condições normais uma pessoa deve apresentar estes mesmos 97% de saturação.
Em uma pessoa normal, aproximadamente um quarto da hemoglobina é utilizada no transporte do oxigênio para os tecidos, nas condições normais. Quando os tecidos sofrem de extrema necessidade, a PO2  (pressão de Oxigênio) nesses tecidos cai a valores muito baixos, permitindo que o oxigênio difunda do sangue capilar com maior rapidez que a usual. Como resultado, a saturação da hemoglobina no sangue capilar pode cair a 10 a 20%, em lugar dos 70% normais.


Fonte:  POWERS &¨HOWLEY,2000;MCARDLE el col., 2008


Postar um comentário